Lá fui eu no Google tentar encontrar uma luz. Queria algum site reconhecido, alguma reportagem séria que pudesse me guiar. As primeiras coisas que encontrei foram mais na linha do “onde não comprar” e nada do que procurava. Em seguida, encontrei muuuuuuuuuuitos canis que se diziam especializados na raça uns com uns selos que não conhecia, outros não. Pensei comigo: “Lugar certificado é sempre referência” e foi aí que comecei a diminuir a lista.

Um dos tais selos era da Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC), que tem como uma de suas funções emitir o certificado de pedigree (Certificado de Registro Genealógico), dei uma olhada noranking de melhores criadores e minhas dúvidas ainda eram grandes. Aí olhei o segundo selo, o da Abrabull. Comecei a ler sobre os padrões da raça, sobre ocódigo de ética que os criadores associados TÊM que seguir e foi aí que comecei a me sentir um pouco mais segura. O passo seguinte foi entrar na seção de sócio-criadores em São Paulo para saber o que tinha na cidade.

A minha ansiedade era grande, queria um filhote e queria LOGO, o único disponível era do não tão perto Canil Laffranchi. Gostei muito das informações no site e da honestidade em destacar os custos que envolvem a criação de um bulldog. O proprietário é um veterinário, o Dr. Sergio Laffranchi, uma pessoa atenciosa e bastante séria e depois de buscar se não havia nenhuma reclamação ou causos negativos envolvendo o canil, decidi que o Rufinho viria dali.

Minha falta de experiência, poderia ter me colocado em uma fria muito grande, por isso acho importante conscientizar que existem muitos canis e pseudo criadores que não têm o menor respeito pela vida do animal e que só visam o lucro. Para evitar contribuir com essa gente do mal, aí vão 7 dicas para comprar um bulldog de um canil confiável:


1 – Procure um canil especializado e com experiência
Tem muita gente brincando de ser criador por aí, fazendo inseminações caseiras e experimento. Se você busca um bulldog, o padrão da raça é importante sim! Por isso, procure um criador especializado em bulls, com referências e que forneça o certificado de pedigree.

2 – Investigue o histórico de possíveis reclamações
Muita reclamações? Desconfie! Faça uma investigação ainda mais cuidadosa.

3 – Busque referências de outros papais
A indicação de quem você confia vale e MUITO. Converse com outros pais de bulls e pergunte sobre a experiência que tiveram.

4 – Visite o canil (quando possível)
Por questões de segurança, alguns canis não permitem visitas ou acesso à área onde os cães ficam. Mas se puder, conhecer o lugar sempre ajuda.

5 – Solicite o contrato de compra e venda
É estranho, eu sei. Mas a compra de bulldog envolve a assinatura de um contrato de compra e venda. Ele é a sua garantia. Leia atentamente, principalmente às questões que envolvem a forma de pagamento e responsabilidades do canil.

6 – Confie no seu instinto
Se nos contatos sentiu algo errado. Caia fora. A gente sempre sabe quando há algo errado no discurso ou na energia de um vendedor/lugar.

7 – Fuja dos sites de anúncios
Mais e mais têm surgido anúncios de bulldogs na OLX e no Mercado Livre. A grande maioria destes cães são maltratados e vivem em condições precárias, fruto da falta de consciência de donos irresponsáveis que nem podem ser chamados de criadores. Sério, não compre! Nem cogite. É preciso NÃO incentivar e NÃO financiar este tipo de gente. Se quiser ajudar, denuncie o anúncio. Criadores sérios não usam essas plataformas.

A compra de um bulldog é uma responsabilidade muito grande, ele não é um objeto, será um membro da família. Seja cuidadoso para garantir que seu filho é fruto de uma criação responsável.

Fonte: https://maedebulldog.com.br/2016/02/11/7-dicas-para-comprar-um-bulldog-de-um-canil-confiavel/